Recifenses protestam contra reajuste no preço de ônibus urbano

Um protesto contra o aumento de 14,26% na passagem de ônibus da região metropolitana do Recife (RMR) percorreu as ruas da zona central da capital pernambucana na tarde de hoje (17). O reajuste foi aprovado na última sexta-feira (13) e passou a valer no domingo (15).

O ato saiu da Rua do Hospício, percorreu a Avenida Conde da Boa Vista e terminou na Praça do Derby. Os manifestantes criticaram empresários de ônibus e também o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, por não ter implementado uma promessa de campanha. O carro de som da manifestação tocou várias vezes um discurso de Câmara em que ele prometia, na campanha eleitoral, tarifa única de R$ 2,15 nos ônibus da RMR, além de bilhete único para pegar mais de um transporte sem pagar mais de uma passagem.

A intenção dos organizadores do protesto, como a Frente de Luta pelo Transporte Público (FLTP), é pressionar Paulo Câmara a barrar o reajuste, aprovado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) em reunião que durou menos de cinco minutos. O representante do segmento estudantil no colegiado, Márcio Morais, integrante da FLTP, disse que seu pedido de vista foi negado e criticou a forma como o aumento foi aprovado.

"Na sexta-feira passada, o governo de Pernambuco mais uma vez não disponibilizou a planilha analítica que identificaria item por item para saber como eles chegaram a esse montante do aumento. Além disso, votaram um aumento de 14,26% que eles sabiam, iria onerar muito o bolso do trabalhador. Não teve debate nem transparência", criticou Morais.

Ele entrou com um mandado de segurança para anular a reunião que decidiu pelo aumento. Também pediu uma auditoria nas contas que definiram o reajuste. O processo começará a ser analisado amanhã (18) pelo desembargador Itabira de Brito, de acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

A Agência Brasil tentou contato com o Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável pelo gerenciamento do setor, mas os telefones da assessoria de comunicação e o geral não atendeam e o e-mail enviado não teve retorno.

Da Agência Brasil
https://syndication.exdynsrv.com/splash.php?idzone=2574917